O Amor Atrás da Porta

22 09 2010

           O que fazer com seu amor? Deixá-lo atrás da porta?

          É certo que o amor é um sentimento um tanto quanto cruel, já que quando você tem a liberdade de expressá-lo, ele te faz refém e inclina para o cometimento de atitudes abobadas. Porém quando você não pode fazer publicá-lo basta aproveitar as oportunidades que tem de vivê-lo (ou não), alimentando-o de vez enquando e por ele ser alimentado.

          Este post me remete a história de uma grande amiga qual aqui denomino Quelly. Certo dia em uma conversa com ela, percebi o quanto estava angustiada pois se considerava traidora dos próprios princípios.

          Prestes a dar um grande passo na sua vida, Quelly reencontrou um jovem rapaz. Amizade muito antiga, e que como o tempo é capaz de transformar as pessoas, quando o viu novamente quase não o reconheceu, ele chama-se Eduardo. Depois de passarem uma manhã inteira conversando, logo se identificaram e descobriram que sempre tiveram em busca um do outro.

         Quelly comprometida com suas promessas, sabia que não podia se envolver numa aventura, porém seu coração sabia muito bem que aquilo não se tratava de uma simples aventura, ele o tempo todo dizia que Eduardo era quem ele sempre buscava, e que era seu grande amor. Mas e agora, o que fazer com seu compromisso? Como jogar tudo pro alto e partir rumo à felicidade?

         Do outro lado, Eduardo também apaixonado estava e passava quase que pelo mesmo dilema, pois se envolvera numa relação qual ficou noivo e não sabia como fazer. Pensava ele que sua noiva era frágil demais para suportar sua perda. Homem muito honrado, estava decidido a renunciar também sua felicidade para cumprir com sua palavra. Palavra de homem!

         De acordo com as regras da sociedade os dois apaixonados só puderam até hoje guardar o verdadeiro amor atrás da porta para sempre poder andar de cabeça Erguida.

         Pergunto: até quando se pode andar de cabeça erguida por cumprir com uma norma social se você não respeita seu próprio sentimento? Qual o compromisso mais importante, aquele que assumimos com os outros ou aquele que assumimos ao receber de Deus a vida com a obrigação de ser feliz? Honrar a palavra dada é mais do que honrar a si próprio?

         Segundo opiniões ouvidas, a possibilidade do amor ser eterno depende do trinómio lealdade, fidelidade e dedicação. Dedicar-se hoje à incerteza do amanhã. Ser leal sobre todos os acontecimentos e fiel ao próprio sentimento.

         Lealdade é não deixar de cumprir uma promessa feita, é não deixar de fazer aquilo com o que se comprometeu, porém quando há promessas em cima de promessas, já não se sabe mais qual devemos cumprir. Quando Deus nos dá a vida é certamente para que sejamos felizes e essa é a primeira promessa que fazemos quando aceitamos a vida. Quando prometemos algo a alguém não podemos esquecer da primeira promessa: Ser Feliz.

          Fidelidade é dedicar a vida à verdade. É não trair ninguém e principalmente a si mesmo. Ser fiel é não se perder no caminho e, caso se perca, procurar com maior brevidade possível a volta para o que se comprometeu. Que se comprometeu com o que disse ou que se comprometeu com Deus?

         Dedicação é basicamente o ingrediente principal para conseguir o que se quer, porém dedicar-se não quer dizer necessariamente passar por cima de seus próprios sentimentos para ter a certeza de conseguir o que se quer. O Eu quero, Eu posso, Eu consigo é possível quando não se depende de outras pessoas ou de fatos futuros e desconhecidos.

         Diante de tudo isso, o que fazer? Ser leal, fiel e dedicado ao que se comprometeu com a sociedade ou tirar o amor de trás da porta, caminhar com ele de cabeça erguida e ser feliz,  assumindo assim então o compromisso que assumiu com a vida que recebeu de Deus? Eis a questão?

Anúncios

Ações

Information

3 responses

23 09 2010
Debby Lenon

Olá

Conheço uma pessoa que vive com o amor atras da porta, pois é incapaz de revelar a pessoa amada seus sentimentos, pois, ele no caso, teria que deixar esposa, filhos e toda uma verdadeira vida.
Talvez ele não seje feliz ao lado da mulher amada (que eu acho também tem sentimentos forte por ele), mas, com certeza ele não será feliz ao lado da familia. Entra aqui a questão do amor platonico, de traição e se é possível amar duas pessoas ao mesmo tempo?
Bom essa pessoa só me confidenciou seu dilema, pois, eu já havia percebido como ele agia quando estava junto da minha amiga. Não pude aconselha-lo, mas, vou mandar o link desse post para ele.

23 09 2010
babiely

Oi Debby

Também conheço várias pessoas que escondem o amor atrás da porta, não sei se por falta de coragem ou se por viverem presos às próprias promessas, por seus compromissos assumidos. Essa pessoa qual você conhece pode até não viver feliz ao lado da família, mas caso resolva abandonar todos para viver a sua vida e seu amor, certamente será altamente criticado.
Quando ao questionamento se é possível amar duas pessoas ao mesmo tempo, eu acho possível amar até mais do que duas, porém são amores diferentes.
Agradeço sua visita e seu comentário.
Beijos
Barbie.

14 05 2017
Flora

I hate my life but at least this makes it beelabra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: