Palavras soltas…

25 11 2010

                                               Eu pensei em escrever poesia, crônica, ou um texto qualquer que tenha uma denominação dada por alguém, mas resolvi apenas falar de sentimentos…

                        Eu nunca senti a verdadeira dor de uma lágrima caindo, mas hoje senti seu amargo sabor e seu efeito de dolorido. Ainda mais que ferida em silêncio… silêncio estrondoso que parece rasgar violentamente o som do nome que mais gostei de ouvir.

                         Bárbara.

                         Eis o nome…

                         Belo nome!

                         Belo que dependendo de como pronunciado pode ser horrível…

                        Se olhado no dicionário tem significado de não civilizado. E se ouvido num ríspido som causa dor ao coração…

                         Bem feito é o que quase foi dito, salvo por um não ouvido… mas nossa, quanta dor!

                         Não… eu nunca estive e nem estou abaixo de ninguém se não de meu Deus, daquEle que por mim sente amor, daquEle que ainda que ainda que ache necessária minha adequação ao novo tempo, jamais seria capaz de tanto amargor. Também não estou acima de ninguém, sou apenas eu caminhando nesta vida sem cor, porque a vida tem a cor que você pinta e eu pintei a minha de cinza.

                         Se sabes que me dói, por que insistir no que dizer? Se sabes que machuca por que repetir a surra? Não… eu não entendo… é por isso que tem certas coisas que eu não sei dizer…

                         … hoje prometi que não vou mais cobrar, ainda mais de dívidas inexistentes. Em contestação arguiu que não sou credora logo não posso ser autora… então quem tenha a legitimidade para fazer, que o faça, porque depois de saber da improcedência de minha causa, eu já não estou mais nesta ação!

Anúncios

Ações

Information

6 responses

27 11 2010
Neusa Fiesta

Olá amiga, excelente o seu texto.
Melodioso, poético, autêntico!
Gostei demais; escreva outros, você tem talento!
Grande beijo e Parabéns!

26 11 2010
Marivan

Amiga Bárbara,
Um poema que diz tudo o que quase todos sentimos mas poucos ousamos dizer. Até onde vai chegar esta situação?
Até quando vamos ser empurrados para o abismo? Até quando vamos suportar esta situação?
Bela reflexão feita de grandes verdades.
abçs Marivan

26 11 2010
Valéria

Amiga…. a vida tem as cores que somos capazes de ver…. porque ela possui uma aquarela completa de tons e sobretons……
Gostei das palavras soltas, que ainda na verdade estão presas em um coração que se retrai…..
Solte as amarras e deixe que os pincéis procurem suas cores correspondentes…..
Beijo enorme em seu coração

26 11 2010
Principe Encantado

Somos administradores de nossas atitudes e você mostrou que sim, é possível.
Abraços forte

25 11 2010
Jackie Freitas

Olá Bárbara querida!!
Vou também deixar aqui algumas “palavras soltas”, minha amiga!
Somos capazes de produzir o nosso próprio concerto…somos nós, nossos próprios maestros. Afinamos nossos ouvidos para escutar os belos tons, mas percebemos rapidamente aquilo que destoa de nossa obra.
Assim como a música, você é bela… a melodia depende apenas de como você vai conduzir e qual o ritmo que dará a ela!
Grande beijo!
Jackie

25 11 2010
zango

Admiravelmente belo! Tão bárbaro ter um papel e caneta para registrar momentos sem a preocupação de desfalcar a conta com uma sessão de psicanalista. A poesia, as letras tem destas particularidades, expressar o que vai na alma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: