Falsidade

10 10 2011

 

Eu sorrio, ela sorri.

Eu choro, ela percebe, enxuga minhas lágrimas e ela sorri.

Eu me revelo, conto meus segredos, ela sorri.

Eu falo, ensino, agradeço, ela sorri.

Ela me elogia, me aplaude, eu sorrio.

Ela me exalta, me escuta, eu sorrio.

Ela vem, me olha, eu sorrio.

Ela diz, me acalma, eu sorrio.

Quando eu descubro quem ela realmente é, eu choro.

Choro de raiva dela. Choro de raiva de mim.

Um dia o choro vai embora

Secos com toalha de cetim

Mas o bom é que de decepção eu não morri

E com mais esse tombo eu sobrevivi.

Ela? Falsidade.

Eu? A pessoa que acreditou mais uma vez.

Anúncios

Ações

Information

4 responses

10 10 2011
seuflavio

Se nessa vida não tiver dor, obstáculos, sacrifícios, esforço e falsidades; a vida se torna monótona, bjs Barbara bjs

10 10 2011
Bárbara

Também acho, Flávio, concordo plenamente. Porém não sei se uma monotonia não seria, por vezes, necessária.
Obrigada por seu comentário aqui, viu? Beijos.

10 10 2011
Debby

Decepcionada com o ser humana mana?
A vida é sempre cheia desses seres. Temos que nos acostumar a viver com eles.
beijos

10 10 2011
Bárbara

Mana

Não consigo me acostumar com esses seres não. Me desculpa, mas não consigo.
Decepcionada sim, demais. Mas aprendendo a viver. Cada pedra que eu tropeço, dói. Principalmente quando eu só enxergo depois da dor.
Beijos lindona.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: